Big data: entenda o que é e como funciona

7 minutos para ler

Você sabe o que é Big Data e como esse conceito vem sendo utilizado no Brasil? Apesar de ser relativamente novo, esse termo já existe há algum tempo: por volta de 2005, já era possível observar o grande volume de dados sendo gerado por usuários de plataformas como o YouTube e o Facebook.

Além disso, o desenvolvimento de estruturas em código aberto foi essencial para o crescimento do Big Data, já que elas tornam o trabalho mais prático e com um armazenamento mais barato. A computação em nuvem expandiu ainda mais as possibilidades, oferecendo uma escalabilidade verdadeiramente elástica para os desenvolvedores.

Com esse cenário em mente, separamos, neste texto, informações valiosas sobre o que é, para que serve, como vem sendo usado e quais as principais tendências do Big Data. Acompanhe!!

O que é e para que serve o Big Data?

O Big Data é um processo de análise e interpretação de grandes quantidades de dados online. Assim, tudo que está disponível digitalmente — de modo não sigiloso e independentemente da quantidade ou do tamanho das informações — está ao alcance desse conceito, podendo até mesmo ser agrupado de acordo com as necessidades da empresa.

Isso inclui não apenas os bancos de dados públicos, como também quaisquer informações coletadas sobre determinados assuntos ou empresas no mercado. Nesse cenário, as únicas coisas que ficam de fora são os dados privados de algumas companhias ou as movimentações financeiras dos clientes, por exemplo.

Existem diversas aplicações para o Big Data, como, por exemplo, o segmento de marketing. As informações coletadas possibilitam direcionar uma comunicação mais efetiva, permitindo interagir com grupos distintos apenas pelo fato de conhecer os seus desejos.

É comum que as pessoas façam uma tradução literal quando pensam em Big Data, imaginando algo similar a “grandes dados”. Essa relação é feita por causa da grande quantidade de informações que são analisadas. Porém, esse termo acaba sendo muito mais abrangente que isso, principalmente ao levar em consideração os seus Vs.

Os Vs de Big Data

O conceito de Big Data, inicialmente, era contemplado apenas por 3Vs: volume, variedade e velocidade. Alguns anos depois da sua criação, foram acrescentados mais dois: veracidade e valor. Para que você entenda-os melhor, separamos uma breve explicação sobre cada um.

Volume

O primeiro V do Big Data se refere à grande quantidade de dados gerada constantemente e disponibilizada para análise e interpretação.

Variedade

A variedade é um ponto importante do Big Data, já que quanto mais dados e mais fontes tiver, maior será a complexidade do trabalho. Porém, também serão maiores as possibilidades de gerar uma informação útil para o negócio.

Velocidade

A velocidade é outro aspecto em que o Big Data se destaca. Devido ao grande volume e à variedade de informações, todo o processamento deve ser o mais ágil possível, para conseguir gerar oportunidades de negócio e tomadas de decisões mais efetivas.

Veracidade

Esse é um dos Vs do Big Data que está ligado diretamente à quantidade de informações verdadeiras que são geradas. O grande volume de dados pode causar confusão e, por isso, é preciso muito cuidado para conseguir maior veracidade sobre as informações coletadas.

Valor

Se você focar os seus esforços para gerar uma informação que não tenha nenhuma serventia para o seu negócio, o valor desse trabalho se torna negativo para a empresa. Por isso, é necessário entender muito bem o contexto e a necessidade durante a geração dos dados certos para as pessoas certas.

Como é o uso do Big Data no Brasil?

Como citamos brevemente no tópico anterior, o Big Data pode ser usado em diversas aplicações, sendo capaz de melhorar os resultados e a lucratividade de negócios em diferentes segmentos. Por isso, separamos alguns cases interessantes para exemplificar como esse conceito tem sido explorado no país. Confira!

Melhor análise do comportamento do consumidor

Diversas empresas brasileiras — como a Vivo e a Renner — usam a análise de dados como uma forma de compreender com maior precisão o comportamento do seu público. Assim, elas conseguem oferecer produtos e serviços mais alinhados às necessidades dos seus clientes, além de conseguir entregar promoções personalizadas.

Maiores oportunidades de investimento

No atual momento, muitas empresas corretoras de valores e consultorias financeiras adotam sistemas inteligentes para realizar o cruzamento de informações macroeconômicas, tais como taxas de juros e câmbio e dados do mercado, por exemplo.

Assim, os próprios robôs investidores vêm seguindo a tendência sobre o uso de Big Data no mercado financeiro. Dessa forma, é possível ter uma taxa de sucesso mais elevada em diversas aplicações, com base na mineração de dados.

Precisão na gestão de tráfego

O uso de Big Data já vem causando impactos positivos para a gestão de tráfego no Brasil. Desde novembro de 2016, a cidade paranaense de Ivaiporã instalou um sistema capaz de coletar informações das ruas com o intuito de identificar padrões e fornecer uma visão mais abrangente sobre a organização do tráfego.

Assim, com essa consciência digital sobre a movimentação urbana, é possível determinar o tempo ideal para o fechamento dos semáforos, além de permitir notificar os agentes de trânsito com maior agilidade em casos de acidentes.

Quais são as tendências do Big Data para as empresas?

Com o crescimento previsto para o mercado de Big Data e Business Analytics chegando a valores acima de U$ 203 bilhões em 2020, é preciso ficar de olho nas principais tendências da área para estar um passo à frente da sua concorrência e conquistar os melhores resultados.

Uma das principais novidades é o uso de Machine Learning, que permite aos computadores aprenderem as tarefas realizadas nas empresas, sem a necessidade de serem programados para realizá-las.

Outra tendência do Big Data muito utilizada pelas empresas é a inteligência artificial para a criação de aplicativos inteligentes. Eles são planejados, incorporando as análises do Big Data e analisando os comportamentos anteriores dos usuários. Com isso, é possível fornecer produtos e serviços personalizados para o público, melhorando a recepção dos clientes com a marca.

Além disso, os aplicativos em código aberto — nos quais são armazenados um grande volume de informações, em uma rápida velocidade de processamento — passaram a dominar a ciência de dados. Essa é uma tendência que promete continuar pelos próximos anos, principalmente pelo fato de que o uso dessa aplicação vem crescendo de forma promissora.

A aplicação do Big Data é particular para cada modelo de negócio. Por isso, é preciso identificar os desafios da sua empresa, sabendo priorizar os principais problemas que você precisa enfrentar. Além disso, é necessário contar com uma fonte de dados relevantes, recorrendo a informações internas e externas para serem analisadas e interpretadas. Por último, utilize ferramentas adequadas para coletar, processar, analisar e armazenar os dados.

Gostou de aprender sobre Big Data? Então, aproveite para conferir 3 formas para fazer a migração de dados sem nenhum problema!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-