Dashboard BI: veja tudo o que ele pode fazer por sua empresa

9 minutos para ler

Nós vivemos a era da informação e por isso, não conhecer bem (e acompanhar) os dados do seu negócio, pode custar alguns milhares de cifras ao seu rendimento anual. Mas, se por um lado os dados são valiosíssimos para o sucesso da sua empresa, por outro, o excesso deles pode causar confusão e levar a decisões erradas.

Para evitar essas duas situações, são recorrentemente utilizadas ferramentas de visualização de dados (datavis), tais como o dashboard de BI, uma ferramenta de acompanhamento, que permite você enxergar com mais clareza os dados do seu negócio. E criar insights de mercado a partir deles.

Mas não é só isso, os dashboards podem contribuir de diversas formas para o desenvolvimento da sua empresa. E é sobre isso que vamos falar neste artigo. Veja só o que você vai conferir por aqui:


Dashboard: o que é e como ele funciona;
Dashboards versus relatórios;
4 vantagens do dashboard na sua empresa;
Principais erros na criação de dashboard;
Tipos de dashboard;
Como criar um dashboard;
Prototipação de dashboards com a IPNET.

Ficou interessado? Continue a leitura para saber todos os detalhes (ou clique sobre os títulos acima, para ir direto a uma parte específica do texto).

DASHBOARD: O QUE É E COMO ELE FUNCIONA

Termo em inglês que significa painel de controle, o dashboard é um quadro que centraliza informações (indicadores e suas métricas), com uma boa apresentação visual. Ou seja, ele é um diagnóstico completo em uma única página (também chamada de tela), que fornece a visão geral completa, seja da saúde financeira da empresa, um projeto específico, indicadores de TI ou o que você desejar.

O que é o Dashboard - Dashboard BI - Ipnet

Os dashboards são, portanto, uma ótima ferramenta de visualização rápida, pois combinam gráficos, tabelas e outros elementos visuais, para condensar dados de forma intuitiva. Usados para o acompanhamento, consultas e até mesmo apresentações, eles podem ser compartilhados apenas com o gestor, ou com a equipe toda.

Mas, de onde vem os dados condensados pelo dashboard? Eles são extraídos de relatórios, que por sua vez, são baseados em um conjunto de dados, provenientes de planilhas, banco de dados, e outras fontes. Outra vantagem, é que os dashboards podem combinar dados locais e da nuvem, entregando uma exibição consolidada.

DASHBOARDS VERSUS RELATÓRIOS

Apesar de parecerem semelhantes, já que ambos têm a função de oferecer um monitoramento do seu negócio e suas métricas, os dashboards e relatórios têm diferenças significativas. A primeira delas, nós já adiantamos. Diferentes dos relatórios, os dashboards podem unir dados de diferentes fontes, on e offline.

Relatórios vs Dashboards - Dashboard BI - IPNET

Mas não pára por aí, entre as principais diferenças estão:

4 VANTAGENS DO DASHBOARD NA SUA EMPRESA

Como foi possível perceber no item anterior, os dashboards apresentam diversos recursos, que não estão disponíveis nos relatórios. Mas, quando se trata do sucesso do seu negócio, quais são as reais vantagens de usar essa ferramenta?

Além de melhorar a comunicação da empresa, uma vez que centraliza as informações em um único lugar, os dashboards apresentam benefícios que se aplicam a qualquer negócio, como:

1. Monitoramento mais eficiente

Com a atualização automática, você acompanha as principais métricas do seu negócio em tempo real. Tornando mais ágil a identificação de problemas e a elaboração de estratégias de solução. Como uma queda brusca nas vendas, por exemplo.

2. Agilidade no acesso a informações relevantes

Através da organização e centralização dos dados, as consultas das principais métricas da empresa ou de um projeto específico se tornam mais ágeis, otimizando os processos internos e mantendo suas garantias de segurança e governança. Dessa forma, tanto gestores quanto colaboradores ganham tempo para pensar em soluções estratégicas, ao invés de gastá-lo extraindo relatórios.

3. Integração de dados offline e na nuvem

Diferente dos relatórios, os dashboards permitem a integração de dados on e offline, como adiantamos anteriormente. Com isso, mais do que tempo, se ganha consistência e assertividade nas informações, já que é possível ver sua empresa como um todo, onde quer que você esteja. Evitando equívocos ou leituras enviesadas da real situação. É possível até combinar estas informações com outras plataformas, como o Google Maps.

Integração de dados offline e na nuvem - dashboard bi- ipnet

4. Interatividade

Como é composto por blocos, os dashboards permitem personalizações de forma mais ágil, como o acréscimo ou exclusão de blocos, por exemplo. Desta forma, um dashboard criado para ser apresentado em uma TV, pode ter mais blocos que um que será utilizado no celular; ou um dashboard gerencial será mais complexo do que um executivo, com indicadores e KPIs mais objetivos, acompanhando a necessidade do seu negócio, e métricas mais importantes em um determinado momento.

PRINCIPAIS ERROS NA CRIAÇÃO DE DASHBOARD

Até aqui, já ficou claro o quanto os dashboards podem trazer vantagens para o seu negócio. Entretanto, na mesma proporção que beneficiam, eles podem prejudicar ou pior, custar o sucesso da sua estratégia de business intelligence.

Basta você cometer um dos 6 principais erros cometidos na criação de um dashboard:

1. Escolher as métricas erradas

Pela proposta de ser um resumo da sua empresa ou projeto, um dashboard precisa ser muito bem planejado. E isso significa, em um primeiro momento, escolher as métricas corretas para serem exibidas. Por quê? Porque as informações erradas não só podem atrapalhar a tomada de decisão, como podem a influenciar negativamente. Apresentando sérios riscos para a saúde financeira da sua empresa e ou andamento do seu projeto.

2. Sobrecarregar os dashboards

Se a insegurança de escolher as métricas erradas te levar a escolher muitas, saiba que esse é outro erro. Sobrecarregar um dashboard com muitos dados, pode dificultar sua leitura. Prejudicando assim sua principal função, que é oferecer um diagnóstico rápido. Incluir mais informações, portanto, não significa necessariamente que ele estará mais completo.

3. Escolher modos de apresentação de dados incorretos

Bem como escolher as métricas e dados corretos, é importante saber a melhor forma de representá-los no dashboard. E não é uma questão de estética. Gráficos, tabelas e outros elementos visuais, se bem utilizados, facilitam e muito a leitura dos dados.

Erros na criação de dashboard bi: Dados incorretos - Ipnet

4. Não fornecer dados específicos

Tão preocupante quanto escolher os indicadores errados é ter dados incorretos em seu dashboard. Bem como não escolher as métricas corretas, esse deslize pode custar o sucesso da sua empresa ou projeto. Pois, com dados imprecisos seu dashboard não vai apresentar o real status de andamento. Por isso, antes de começar, garanta que todas as suas fontes de dados estejam corretas e atualizadas.

5. Não escolher o tipo de dashboard correto

Sim, existe um tipo de dashboard específico para cada objetivo. Não os conhece? Tudo bem, explicamos melhor a seguir.

6. Não garantir a segurança do dashboard

Como o dashboard é um meio orgânico e dinâmico de apresentar as informações, é bem comum ver iniciativas que prezam pela inovação e não concentram esforços na segurança dessa informação. Assim como na era dos relatórios, é preciso garantir que as pessoas certas vejam o mínimo de informação necessária para sua tomada de decisão, sem impactar na experiência dos usuários.

TIPOS DE DASHBOARD

Como você viu até aqui, os dashboards oferecem diversas possibilidades. Por isso, foram criados alguns “tipos diferentes de dashboard”, que atendem a especialidades específicas. Os três mais comuns são:

1. Dashboard estratégico: voltado aos indicadores de desempenho geral  do negócio, os KPIs, esse tipo de dashboard é destinado à equipe executiva. Logo, seu principal objetivo é fornecer uma leitura rápida sobre a saúde financeira da empresa aos seus principais decisores;

2. Dashboard operacional: são utilizados para monitorar as atividades operacionais do seu negócio, ou seja, seus processos internos. Por isso, precisa ser atualizado com mais frequência que demais tipos, às vezes até mesmo em tempo real. Logo, seu principal objetivo é monitorar o andamento das atividades da sua empresa, em relação a meta pré-estabelecida;

3. Dashboard analítico: voltado ao descobrimento de padrões de comportamento dos seus clientes, esses dashboards tem o objetivo de ajudar a sua equipe a identificar tendências, prever resultados e ter insights de mercado. Para isso, analisa grandes volumes de dados e normalmente são desenvolvidos por analistas de dados.

Dashboard analítico - Dashboard BI - Ipnet

COMO CRIAR UM DASHBOARD

Existem hoje no mercado diferentes ferramentas para a criação de dashboard BI, como o Tableau, o Power BI da Microsoft ou o Google Data Studio, só para citar alguns. Mas, como você já deve ter percebido, criar dashboards vai muito além de comprar uma licença ou dominar uma ferramenta.

É necessário ter o conhecimento de que tipo de dashboard é o mais indicado para o seu problema (lembrando que aqui citamos apenas os três principais). Ou seja, não é uma tarefa tão simples quanto será a leitura dos seus dados em um dashboard.

Por todas essas questões, muitas empresas recorrem a parceiros especializados para criar seus dashboards.

PROTOTIPAÇÃO DE DASHBOARDS COM A IPNET

Eleita Google Cloud Latin America Services Partner of the Year 2018, a IPNET é especialista em Cloud Computing e análise de dados, combinando as duas expertises para a criação de dashboards inteligentes, que impactem diretamente os resultados de seus clientes.

Mais do que isso, como Growth Partner, a IPNET usa metodologias modernas, como o design thinking, para ajudar seus parceiros a encontrarem pontos de melhorias e chances de crescimento. Ou seja, antes mesmo de te propor um dashboard, os IPNETERS entendem o seu negócio, gargalos e oportunidades, para então sugerir o que realmente faz sentido para você.

O mesmo acontece com as ferramentas utilizadas na prototipação dos dashboards. Elas são totalmente personalizáveis. E cada uma delas é cuidadosamente escolhidas, a fim de garantir melhores resultados para os clientes. Quer entender como funciona esse processo na prática? Baixe grátis o case da Ancar e entenda como a IPNET conseguiu aumentar as taxa de locação de lojas na rede de shoppings centers.

Quer saber como a IPNET pode contribuir para o crescimento da sua empresa? Clique e saiba mais!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-